domingo, 3 de agosto de 2008

O Amigo Livro

Na semana passada aconteceu uma experiência interessante para o Movimento Livro nas Mãos.

Em sala de aula, num curso de poesia na Casa das Rosas, levei um livro de técnicas de escrever, mais precisamente "A Oficina doEscritor", do Nelson de Oliveira, com o intuito de provocar qualquer reação que pudesse dar ensejo a comentários neste blog.

Pois bem, cheguei em sala, sentei-me e rapidamente coloquei o livro na carteira ao lado para que todos pudessem vê-lo. Os alunos iam chegando, passando por ele, alguns olhavam curiosos, e ele alí, firme, resoluto e cheio de conteúdo. Mas, ninguém se dispôs a colocar as mãos nele, e nem mesmo a perguntar algo que tivesse lhe despertado a curiosidade.
A aula foi passando até que uma hora e meia depois chegou o intervalo. Olhei para ele e pensei.
-"Fique aí meu velho, vou tomar um café e volto. Se alguém lhe quiser, preencha-o com o que tens a dizer."
Fui-me embora e somente vinte minutos retornei a sala. Lá estava ele por sobre a carteira, contudo, em posição diferente da que eu o tinha disposto quando cheguei. Fiquei feliz com a mudança. Alguém o havia manuseado. Talvez me questionem sobre ele.
Sentei-me ao seu lado como de início, assisti a aula, até que esta chegou ao seu fim, quando então passei as mãos nele carinhosamente, e o afaguei por sobre a capa vermelha, e lhe disse:
-"Espero que a sua experiência tenha sido boa. Tomara que tenha feito algum amigo. Você é muito querido. Vamos pra casa."
Coloquei-o na bolsa, e saímos felizes, cônscios de que havíamos feito o nosso papel.
No caminho me questionava sem que ele me ouvisse..."será que aconteceu alguma coisa que ele para sempre guardará apenas para si ? Teria se relacioanado com alguém ? Ou será que viveu mais um caso em que as pessoas ainda se abstém de manter um relacionamento saudável com um novo livro amigo ?"

SADY FOLCH

2 comentários:

Monica Loureiro disse...

Achei lindo este POST !

Lembrei de quando vou a livraria, e vejo algum livro, na banca, as vezes um livrinho até pequenino, que ninguém liga, e eu falo com ele :

- Vamos querido, vou te dar um lar....


É muito lindo esse amor pelos livros

Petê disse...

Aposto que vão procurar o mestre Nelson em algum lugar. Quer ver?

Abração