sexta-feira, 27 de março de 2009

# Uma Imagem que vale por mil palavras

.
.

Há dias venho observando as pessoas na cidade, à procura de exemplos interessantes a fim de citá-los na página do Movimento Livro nas Mãos. Como não podia deixar de ser, em uma megalópole como São Paulo com dez milhões de habitantes, é natural se deparar com cenas de pessoas lendo nas ruas, nos restaurantes e lanchonetes, nas filas dos bancos e até mesmo no trânsito caótico em que se transformaram as vias da cidade. Ainda assim, nada me cativou tanto a fim de dar-me por satisfeito.
.
Continuei a minha procura, em busca daquilo que fosse interessante e diferente, e que tivesse um desenho, uma imagem, uma cena incomum.
.
Até que ontem à noite, voltando de uma aula na Escola Superior de Direito Constitucional, onde ocorre já a segunda turma do Curso de Pós Graduação em Formação de Escritores, coordenada pelo educador Gabriel Perissé, parecia ter encontrado o que procurava.
Dois homens em uma esquina, debaixo de um poste iluminado, e, circundados por quase uma dezena de grandes sacos de lixo, liam atentamente a um pequeno livro. Como eu passava de bicicleta, pude perceber inclusive que o livro era de capa dura e na cor vermelha. Tentei ler o que estava escrito na capa, mas, foi impossível. Assim como percebi também que só um deles lia para o outro que ouvia e olhava para o texto.
.
Ali estava a imagem que poderia falar por mil palavras.
.
O que mais me intrigou naquele momento de leitura foi o fato daqueles homens de meia idade estarem no meio do lixo, vestidos com roupas um tanto surradas, à primeira vista parecendo serem mendigos. Depois inclusive fiquei pensando se eu teria agido com preconceito. Cheguei à conclusão que não foi nada disso, mas, que o local, o contexto, e as figuras chamaram bastante a minha atenção, por não ser uma cena comum que se encontre todos os dias, ou melhor, àquela hora da noite. Mendigos ou não, lendo um livro foi o que na verdade fez todo diferencial na fotografia.
.
Estava ali o exemplo que achei poderia ser citado no Blog do Movimento Livro nas Mãos. Quando então, em algumas quadras à frente, depois de umas poucas pedaladas pensando apenas naquela cena, e também no fato de que a curiosidade assaltou-me a alma para saber sobre o que liam aqueles homens, foi que me deparei com uma cena ainda mais inusitada, pois, estava em busca de uma cena e era isso que encontrara minutos atrás.
.
Agora estava diante de um grupo de 30 pessoas em plena Avenida São Luis, por volta das 10 e meia da noite, andando juntas e com máquinas fotográficas nas mãos, liam a cidade e suas linhas, seus cantos e suas luzes, seus detalhes e seus dizeres, interpretando-os, fazendo com que uma imagem novamente pudesse, agora de fato, falar por mil palavras.
.
.

1 comentários:

Regina d'Ávila disse...

Fiquei curiosa..
Eu seria "indiscreta" o suficiente para perguntar qual era o livro..Ah!! tenho certeza..hahah
Adorei o texto..e realmente você encontrou uma "cena"maravilhosa..
Parabénssss!!
Regina d'Ávila.