sábado, 27 de setembro de 2008

# Conversando sobre o Livro nas Mãos

.
Andando pela cidade, tenho feito algo que possa parecer esquisito nestes tempos em que ninguém fala com estranhos.
Não importa, pois, o que me alegra mesmo é ver as pessoas portando seus livros, lendo nos bares, nos cafés, nas filas de metrô e em tantos outros lugares.
Mas, eu falava mesmo era do que tenho feito quando me deparo com essas situações.
Me aproximo, peço licença para interromper aquele momento sagrado, e digo: - "Você sabe que existe um Movimento chamado Livro nas Mãos?".
Dali em diante troco algumas idéias sobre a leitura que a pessoa esteja fazendo, ela me fala do livro, e percebo que a conversa entre estranhos passa a ter uma fluidez que só se encontra entre bons amigos, ou pessoas que possuem algo em comum. O metrô para em minha estação de escolha, me despeço depois de ter falado do endereço eletrônico do movimento, e vou me embora, feliz por ter conhecido as pessoas que criaram este instrumento de incentivo, e, acima de tudo, por ter trocado algumas palavras sobre livros com um desconhecido.
.
SADY FOLCH

2 comentários:

César Quadros disse...

Adorei a idéia do Movimento Livro na Mão e aqui está a minha primeira contribuição, o meu manifesto alternativo!

"Para que um rico silêncio transborde excitação; para que universos toquem-se delicadamente e produzam frutos, ciclos, atos, causas, efeitos, trejeitos, soslaios, ensaios, meneios, brilhos, espantos, fulgor, amor, respeito....


Ao silêncio dos livros e seu perfume!"

Monica Loureiro disse...

Nossa, sou uma verdadeira apaixonada compulsiva por livros....